quarta-feira, 26 de abril de 2017

RESENHA: O LADO FEIO DO AMOR

O LADO FEIO DO AMOR

Sinopse: "Quando Tate Collins se muda para o apartamento de seu irmão, Corbin, a fim de se dedicar ao mestrado em enfermagem, não imaginava conhecer o lado feio do amor. Um relacionamento onde companheirismo e cumplicidade não são prioridades. E o sexo parece ser o único objetivo. Mas Miles Archer, piloto de avião, vizinho e melhor amigo de Corbin, sabe ser persuasivo... apesar da armadura emocional que usa para esconder um passado de dor. O que Miles e Tate sentem não é amor à primeira vista, mas uma atração incontrolável. Em pouco tempo não conseguem mais resistir e se entregam ao desejo. O rapaz impõe duas regras: sem perguntas sobre o passado e sem esperanças para o futuro. Será um relacionamento casual. Eles têm a sintonia perfeita. Tate prometeu não se apaixonar. Mas vai descobrir que nenhuma regra é capaz de controlar o amor e o desejo."


Tate tem 23 anos, uma moça adorável  é formada em enfermagem e, no momento ela está de mudança para morar por um tempo com seu irmão  Corbin Collins, em San Francisco. Ela pretende dedicar-se ao seu mestrado em enfermagem, como seu irmão piloto de avião, raramente está em casa, tudo parece ser  perfeito.

"É muito ruim que ele esteja perdido," eu digo para Corbin. "Ele não tem uma má aparência."

Só que Tate não esperava, encontrar um homem bêbado, justamente na porta do apartamento do seu irmão. Sem saber o que fazer, Tate liga para seu irmão.  Corbin identifica o bêbado, e pede para que Tate, coloque o para dentro e deixe ele no sofá.


Miles Archer é um  homem muito atraente, e trabalha como piloto na mesma empresa que o irmão de Tate.  Um verdadeiro gato bastante reservado,  com um passado totalmente obscuro, e com muitas lembranças dolorosas.

"Eu não tenho ideia sobre o que se passa pela sua cabeça. Ele nunca sorri. Ele nunca gargalha. Ele não flerta. Seu rosto parece como se ele mantivesse uma armadura entre suas expressões e o resto do mundo."



É claro que a atração entre eles foi inevitável. Miles, muito misterioso não queria nenhum envolvimento sério.  Ele propôs um acordo,  que a única forma de estarem juntos seria em um relacionamento casual, nada de compromissos, e com duas regras: Nunca perguntar sobre o passado e não esperar um futuro. Tate topou na hora, pelo menos teria as melhores noites de sexo.

 "- O amor nem sempre é bonito, Tate. Às vezes você passa o tempo inteiro desejando que um dia ele mude. Que melhore. E aí, antes que perceba, você já voltou para a estaca zero e perdeu o seu coração em algum lugar no meio do caminho."

O livro é narrado em primeira pessoa, e intercalando presente com Tate  e passado com Miles.

"Eu acho que eu finalmente tenho minha única regra (...) não me dê falsas esperanças de um futuro, especialmente se você sabe no seu coração que nós nunca teremos um."

Tate sabe que isso não vai acabar bem, mas mesmo assim entra de cabeça nessa relação. Ela põe na cabeça que com o tempo ela conseguirá conquista-lo. Mesmo que isso a machuque. E não são poucas as vezes que o Sr. Bonitão, a trata mal. Fiquei muitas vezes brava com Tate, por aceitar isso.

"Se qualquer outro homem, me tratasse como ele me tratou, seria o único e uma única vez. Eu não tolero as coisas que vi um monte de amigas tolerar. No entanto, eu me vi continuando a fazer exceções para ele, como se alguma coisa pudesse realmente justificar suas ações."

Já Miles com seu passado sofrido,  faz ele ser uma pessoa que não consegue amar. Ele não quer se entregar,  não se acha merecedor do amor.
"Se eu fosse capaz de amar alguém... Seria você."
Como sempre Colleen Hoover, me surpreendeu, cheguei a pensar que seria mais uma historia clichê... há há há  me enganei...rsrsrs. Gente, leiam qualquer livro dela. Não li todos, mas acredito piamente que não irei me decepcionar.

Beijos Carinhosos,

Dani S2

Nenhum comentário:

Postar um comentário